Como ser líder Lean e desenvolver pessoas

Por: Marlon Silva

Foto de três pessoas, vistas de cima, como se estivessem conversando em torno de uma mesa, e diante delas há um bloco de post-its, celular e canetas. No lugar da mesa há grafismos com a identidade visual da CI&T.
Posted on Jan 24, 2018

 

O que você vai ler aqui:

  • O que é a liderança Lean e como ela pode transformar sua empresa 

  • Como se transformar em líder Lean

  • Líder como coach: como ajudar as pessoas a se transformarem na melhor versão delas mesmas

 

 

A maioria das empresas está em busca de se adequar aos novos modelos de operação digital que o mercado exige. Porém, quando falamos em transformação digital de empresas, estamos falando em transformar a cultura e transformar as pessoas. A tarefa não é fácil e impor novos comportamentos não funciona. É preciso, primeiro, mudar a experiência das pessoas no dia a dia para conseguir mudar a maneira como elas pensam. Mas, para isso, as lideranças devem ser o exemplo e orientar cada um dentro da sua realidade.

 

Um caminho é por meio da filosofia Lean, da liderança Lean. Para se tornar líder Lean, você deve, primeiramente, ser Lean consigo mesmo, ter espírito de aprendizado constante, inovação e colaboração. Ninguém compra o Lean de alguém que não aplica o Lean na sua vida. Você precisa transformar a si mesmo e seu mindset para o Lean Thinking

 

Os quatro pilares da liderança Lean
 

1. Autoconhecimento: Quando você está à frente de um time, é capaz de levá-lo até onde as suas crenças permitem. É comum líderes encontrarem dificuldades em relação a desenvolver pessoas, pois muitas vezes não têm autoconhecimento, não conhecem o que lhes motiva, seus modelos, seus valores e seu propósito. Sem conhecer mais sobre esses pontos e como transformá-los em alicerces para a sua jornada, você terá dificuldade em elevar o nível da sua equipe também.

É preciso, então, se aprofundar no autoconhecimento e, como costumo dizer, entender de gente para entender de mente. Só assim é possível apoiar outras pessoas a seguirem e identificarem as suas próprias jornadas também.

 

 

 

 

2. Coaching é aprender a desenvolver pessoas: O coaching é um dos veículos mais poderosos e efetivos para facilitar a transformação. Mas tem que ser um coaching com foco naquilo que é melhor para coachee, time e empresa. No nosso processo Lean de desenvolvimento de pessoas, temos um aprendizado muito forte em relação à empatia, a compreender diferenças e particularidades de cada pessoa. Não é função do coach dizer o que é bom para cada indivíduo, mas ajudar a entender quais são os recursos necessários na carreira para poder se desenvolver.



Outro princípio do Lean que se aplica aqui é o sistema puxado - onde as demandas são ‘puxadas’ pelo cliente segundo suas necessidades. No desenvolvimento de pessoas é a mesma lógica: o crescimento tem que ser puxado por elas. As pessoas têm que entender que a carreira é delas e não da liderança, gestão, de quem está na camada executiva. Assim, é preciso provocá-las a fazer o processo por elas mesmas e, para conseguir isso, aplicamos ferramentas do Lean como o A3 para que busquem a própria melhoria contínua. 

 

 

3. Melhoria contínua: Se você não estabelecer ciclos de melhoria contínua para você, nada acontece. Se não temos o compromisso de crescer depois de cada passo, a tendência é voltar para o padrão anterior. A melhor ferramenta para melhoria contínua é o feedback. Mas é preciso aprender a receber feedbacks e não cair na vitimização. Quem cai nessa armadilha entra em negação e volta para a zona de conforto.

 



4. Metas a caminho do objetivo: Além de saber aonde quer chegar, é preciso saber quando quer chegar lá e mapear a sua jornada de desenvolvimento. Quais são os seus indicadores pessoais? Como você sabe que está se desenvolvendo em relação à sua liderança Lean? Neste ponto, entra um dos princípios-base do Lean: o entendimento a respeito do que é um problema. Para o Lean, um problema é a diferença entre onde você está e aonde você quer chegar.

Para alcançar o crescimento, seu estado desejado deve ser pelo menos três vezes mais empolgante do que o atual, senão você permanece onde está. Crie um objetivo que o motive e desenvolva métricas para avaliar seu caminhar.


 

Transformando as pessoas com o Shu Ha Ri
 

Depois de olhar para a sua jornada de se tornar líder Lean, o desafio é buscar a melhoria das pessoas. Além dos conceitos já trabalhados, é necessário usar outro princípio do Lean; o Shu Ha Ri. O Shu Ha Ri é dividido em três princípios-base:



1. Follow the Rules. Siga as regras, siga as pessoas. Se você chegar a um ambiente novo impondo um modelo de atuação de forma abrupta não vai funcionar. Você precisa, inicialmente, seguir as pessoas. Estude o modelo delas, procure entender o mindset, fazer parte do mundo delas. Como falamos no pilar do coaching, você precisa conhecer e respeitar.


2. Break the rules. Uma vez que você acompanhou  a pessoa, aí sim é possível oferecer o seu ponto de vista. Não substituir, mas agregar aos poucos o que vai fazendo sentido para ela, conduzindo-a até seu modelo se tornar regra.


3. Be the rule. Uma vez que você tenha dominado totalmente a prática, é o momento de ser livre e explorar a criatividade, porque o significado já está tão profundamente arraigado em você, que qualquer passo que fizer expressará a sua essência e você passará a ser respeitado ou respeitada também.



Por fim, é necessário dizer que a responsabilidade pela formação das pessoas - mesmo que a jornada seja individual - é sua. Como diz o ditado “se o aprendiz não aprendeu, o mestre não ensinou”. Desenvolva a liderança Lean que existe em você e conduza as pessoas a acessar recursos, ferramentas e talentos que elas têm para gerar impactos de negócio positivos para a empresa.