Inovação como propulsora em tempos de incerteza

Por: Time CI&T

No centro, uma mulher aponta para um folha branca com post its escritos "Crise", "Desafio" e "Inovar". Ela olha para uma pessoa de costas do lado direito e um homem a observa do lado esquerdo.
Posted on May 21, 2020

O que você vai ler aqui:

  • Inovando em tempos de crise
  • A necessidade de adotar o "espírito de escassez"
  • Os grandes desafios do futuro

 

Mais do que manter os negócios atuais saudáveis no ambiente de alta incerteza que o mercado atravessa, o grande desafio comum é conseguir inovar em soluções que atendam às novas necessidades que surgem diariamente. Com a aceleração vertiginosa do digital e pessoas exigindo cada vez mais precisão e satisfação nas entregas, o caminho para o futuro é adquirir a capacidade de mudar de rotas rapidamente. A receita já é conhecida das startups: foco obsessivo no consumidor, experimentação constante e flexibilidade nas soluções

 

Há alguns anos, grandes empresas já estavam no caminho de reproduzir, aos poucos, os modelos de operação inspirados nessas nativas digitais, testando novas capacidades, criando estruturas híbridas, com gradual instalação de equipes ágeis, multifuncionais e autônomas. Hoje, a necessidade é a de entrar em ação e colocar em prática, de fato, as habilidades descritas acima. 

 

Um bom exemplo de sucesso nesse caminho é o Grupo Boticário. Com um já estabelecido olhar para a melhoria contínua e a criação do novo em produtos e serviços, a companhia vem acelerando o estabelecimento de suas capacidades digitais e ampliando as frentes de inovação de ponta a ponta. É essa história que nos contam Daniel Knopfholz, CIO do Grupo Boticário; Rodrigo Fantinatti, nosso Business Director; e Bob Wollheim, nosso CSO em um podcast no qual falam sobre maneiras de alinhar a companhia no foco de satisfazer os consumidores com velocidade em um ambiente altamente instável.

 

"Inovação é o resultado de arregaçar as mangas e conhecer muito bem o problema da companhia, o cliente, as oportunidades e entrar em ação, ir fazendo. No meio do caminho, você vai ter alguns insights que vão gerar uma evolução constante. E vai perceber que, nessa constância, você criou um  diferencial competitivo. Mas é na execução e exploração bem feitas desse diferencial competitivo que será gerada a inovação, a transformação."

Daniel Knopfholz, CIO do Grupo Boticário

 

Concordando com esse olhar sobre inovação, Rodrigo Fantinatti ressalta que inovar é um trabalho contínuo de mudança de mentalidade

 

"Na visão da CI&T, a inovação tem que estar em todos os times, em todo mundo. Ela tem que fazer parte da cultura, como o experimentar em busca de ser cada vez melhor e mais relevante para o cliente."

Rodrigo Fantinatti, Business Director da CI&T

 

No bate-papo, ainda, Daniel conta que foi ao lado da CI&T que o Grupo Boticário aprendeu a trabalhar de maneira Lean, com espírito de escassez, e que isso tem sido fundamental neste momento em que não se tem um grau mínimo de previsibilidade no qual se ater. 

 

"O que está acontecendo não é nada diferente do que a gente aprendeu nos nossos processos com a CI&T, que é trabalhar com a escassez. A escassez faz a gente priorizar quando você não tem milhões de oportunidades, tem menos canais e tem que fazer as coisas certas, que vão trazer resultados. Essa escassez está levando a gente a escolher bem as nossas batalhas e a acelerar bastante o digital."

Daniel Knopfholz, CIO do Grupo Boticário

 

Além da necessidade de acelerar a instalação de uma operação cada vez mais digital, Daniel Knopfholz, Rodrigo Fantinatti e Bob Wollheim concordam que as companhias devem aprender a aprender. A construção do conhecimento com base neste momento de crise deve ser perene. E esse é apontado como um os grandes desafios para as companhias. 

 

"Logo depois dessa volatilidade, muitas empresas podem tentar recuperar o tempo perdido, e eu acho que isso é um risco. Temos que ter sempre o pé no chão e sair da crise andando, não correndo. Precisamos olhar para esses aprendizados que a gente está tendo e deixar sedimentar as coisas. Precisaremos ter um pouco de racionalidade e tranquilidade."

Daniel Knopfholz, CIO do Grupo Boticário

 

Para saber mais sobre o case Boticário, inspirar-se com dicas sobre como inovar neste momento e como se preparar para um futuro incerto, ouça este episódio do CI&T Podcast. Para ter mais informações sobre ferramentas e metodologias para acelerar o processo de transformação digital da sua empresa, ouça os demais podcasts no nosso canal no Spotify e conheça nossa plataforma CI&T Learnings