Lean Coaching: desenvolvendo equipes para o digital

Por: Marlon Silva

Lean Coaching: a habilidade de desenvolver equipes para o digital
Posted on Dec 21, 2018

 

Diferentemente do coaching tradicional, este modelo forma líderes capazes de auxiliar pessoas a descobrirem novos modos de atuar, potencializar talentos e buscar a melhoria contínua, tão fundamental no atual mercado.

 

Há alguns anos, acompanho um aumento de interesse na formação por coaching no Brasil. Esse movimento claramente se deve a uma busca por adaptação ao ambiente de mudanças profundas, constantes e velozes que estamos vivendo em um mercado cada vez mais digital. E não é para menos; as regras do jogo estão em transformação dia a dia e, para continuar nele, é preciso transformar-se no mesmo ritmo.  

Focadas em preparar suas lideranças para enfrentar esse novo contexto, as áreas de pessoas das companhias têm contratado Professional Coaches, que exercem um papel de consultoria externa e trabalham apoiando seus coachees - ou aprendizes - na busca por melhorar a performance profissional. Porém, muitas vezes, não se tem clareza em relação a quais são as metas que devem ser atingidas no processo, quais os resultados esperados ou os benefícios para a empresa.

O que precisamos nos atentar neste momento é que, quando se fala em digital e em transformação digital, fala-se em pessoas, em colaboração, multidisciplinaridade, quebra de silos e construção de uma estrutura de gestão mais horizontal para alcançar agilidade, qualidade e velocidade na operação. E, quando um coach tradicional se propõe a orientar o seu coachee para que este alcance objetivos individuais, dificilmente o trabalho envolverá questões fundamentais de gestão de equipes, de preparar o ambiente para que elas contribuam para o crescimento da organização no cenário digital.

 

Quando se fala em transformação digital, fala-se em pessoas, em colaboração, multidisciplinaridade, quebra de silos e construção de uma estrutura de gestão mais horizontal.

 

Logo, proponho, aqui, olhar para um processo de formação de líderes que se diferencia bastante do tradicional em relação a objetivos, formato e resultados: o Lean Coaching, baseado na filosofia de gestão Lean. Ao contrário do Professional Coach, o Lean Coach prepara lideranças capazes de ajudar as pessoas a potencializar talentos e desenvolver equipes na direção do ambiente de experimentação, colaboração e inovação. Ou seja, o Lean Coach tem como objetivo formar líderes Lean.

Para compreender melhor esse processo, é necessário conhecer alguns fundamentos do Lean e entender esse modelo de liderança.

 

Lean: um modo diferente de pensar operação e liderança

Antes entendido como uma metodologia voltada para a manufatura, o Lean - com seus princípios, ferramentas e o uso do método científico de teste de hipóteses - mostrou uma poderosa capacidade de transformar empresas de qualquer segmento para a melhoria contínua e veloz na entrega de valor para o cliente. E como essa é a necessidade número um das companhias na era digital, essa filosofia de gestão passou a ser incorporada nas mais diversas organizações.

Mas a grande contribuição que o Lean traz para a transformação digital das empresas está muito além dos processos de produção em si, está no enorme potencial de mudar a cultura das companhias, de estabelecer uma nova forma de pensar em direção à colaboração, à inovação e à experimentação já citadas. É o chamado Lean Thinking.

Para dar uma ideia dessa forma de pensar, cito um dos princípios norteadores do trabalho do Lean Coach, da formação de líderes Lean: para o Lean, os problemas são ouro. Por que esse princípio é tão importante? Considerando que não há como experimentar sem correr riscos e cometer erros, o Lean Thinking propõe mudar a forma de olhar para esses erros, passar a vê-los como oportunidades que devem ser aproveitadas de forma ágil e efetiva. E essa mudança de olhar deve começar pelas lideranças. Quanto mais naturalidade em sinalizar e tratar problemas junto às equipes, mais rapidamente se chega na chamada causa-raiz e com mais velocidade se encontram as soluções.

 

“O Lean padroniza a forma como se resolvem os problemas: primeiro, deve-se analisar o contexto e descobrir pontos fracos e fortes. O segundo passo é fazer o diagnóstico para, então, definir a melhor forma de agir”  

César Gon, CEO da CI&T

 

Assim, uma das funções essenciais da liderança Lean é a de garantir o que o Lean chama de Safety (tema que tratei em outro artigo), ou seja, deve criar um ambiente seguro para experimentar e para que as pessoas se sintam confortáveis em falar abertamente sobre os problemas que surgirem. Para isso a figura de coach deve estar presente no dia a dia da sua equipe, observando, dando voz, aprendendo e ensinando para que, de forma colaborativa, todos cheguem ao melhor resultado.

 

Lean Coaching

E aí entra o trabalho de Lean Coach. Esse é o profissional que conduz líderes pelos caminhos do Lean Thinking, que os forma e prepara para dar suporte às equipes e para que sejam - eles também - capazes de formar novas lideranças.

E aqui outra grande diferença do Lean Coaching em relação ao Professional Coaching, além das já apresentadas: o processo deve acontecer de forma a ter efeito cascata desde os níveis hierárquicos mais altos até a operação na ponta. Ou seja, o objetivo número um como líder Lean é transformar-se em Lean Coach para sua equipe, formando novos e novas líderes que também sejam capazes de desenvolver aquelas pessoas que estão sob sua gestão.

Esse modelo de formação de líderes Lean em sequência, inclusive, foi abordado de maneira muito interessante por Mike Rother em seu livro Toyota Kata, que fala da criação de um sistema capaz de suportar a melhoria contínua em uma organização por meio do uso do método científico e de princípios do Lean. Título do livro, a palavra Kata vem do japonês e diz respeito às rotinas de treinamento de golpes de artes marciais como o Karatê. Cada Kata deve ser exercitado repetidamente até tornar-se uma habilidade.

No contexto do livro de Rother, os Kata são as competências que a liderança Lean deve desenvolver, no caso duas: o Kata de melhoria contínua, no qual se aprende a pensar de forma a gerar sempre a evolução, e o kata de Coaching, que é a habilidade de formar pessoas. Depois de treinar e aprender os dois kata, o líder Lean é capaz de conduzir seus times a desenvolver e reproduzir também essas duas habilidades entre seus pares e subordinados.

 

Kata de Melhoria Contínua e Kata de Coaching

Mas, para garantir que o líder desenvolva os seus kata e esse processo aconteça, o Lean Coach deve estar ao lado dele dando suporte, reforçando princípios e facilitando as jornadas com os times.

 

Nosso modelo

Percebendo na prática o poder que o processo traz às companhias e o quanto a experiência da CI&T tinha a acrescentar a ele, o nosso CEO, César Gon, se prontificou a passar por ele ao lado dos VPs. Uma vez que, juntos, experenciaram o potencial que estávamos construindo, decidiram que a prática deveria ser direcionada também para a diretoria e corpo executivo.

Com foco em criar maestria em líderes de todos os níveis, o processo - que chamamos de Lean Coaching Mastery - ensina os nossos quatro pilares da liderança Lean na prática. Além dos já mencionados Coaching e Melhoria Contínua, nossa formação possui outros dois pilares: o Autoconhecimento e as Metas no Caminho do seu Objetivo.

Por meio de perguntas e provocações positivas, o nosso Lean Coach assegura que seus aprendizes se observem e avaliem, entrem em um processo de melhoria contínua de suas habilidades e adotem o olhar Lean.  

Além disso, o Lean Coaching Mastery é constituído por três fundamentos específicos do Lean Coach que visam expandir ainda mais as capacidades de líderes Lean principalmente no que tange ao pilar de formação de pessoas e do autoconhecimento. E para que se tenha uma ideia da precisão desse modelo, no processo ensinamos líderes a fazerem coaching eficiente de pessoas sob a sua gestão em apenas 10 minutos.

 

Os três fundamentos do Lean Coaching Mastery

A liderança será capaz de levar seu time até onde as suas crenças permitem. Por isso nos dedicamos de forma muito intensa a trabalhar em três pontos que a ajudam a conquistar uma postura mais positiva. Isso porque acreditamos que o que faz com que as pessoas evoluam ou não - e inspirem ou não a mudança das demais - está intimamente ligado ao seu estado interno de recursos. São eles:

1 - Fisiologia: O ser humano é um sistema e para conseguir fazer uma mudança sustentável é preciso olhar o sistema como um todo. Mudar sua fisiologia é o primeiro passo para mudar um estado. Para isso é necessário observar-se. A maneira com que você se comporta, como você coloca seu corpo em funcionamento. Uma fisiologia mais travada, um olhar para baixo, coluna encurvada diz muito sobre como estão suas emoções e pode influenciar diretamente no resultado das suas ações. Mudar a fisiologia ajuda a condicionar a sua mente e a tirar o foco do problema.

2 - Estratégias - É preciso analisar comportamentos, caminhos e responder às perguntas: Quais as estratégias você tem utilizado para atingir os resultado que deseja? Se elas até agora não o levaram a esse objetivo, por que continuar repetindo? Encontre outras possibilidades. Com as ferramentas certas é possível expandir o mindset.

3 - Comunicação - Esse é um pilar muito importante. As pessoas não percebem o quanto a linguagem pode ser poderosa e qual o peso dela para o sucesso da mudança. Para dar um breve exemplo, aqui na CI&T temos recebido a visita de centenas de CEOs em busca de estratégias para tornarem suas empresas mais digitais. Muitos deles se mostram incômodos quando falamos a palavra "transformação". De fato, "transformação" acarreta uma série de significados dentro da experiência de cada indivíduo e organizações, ao passo que outra palavra como "evolução" traz mais a ideia positiva de melhora. Quando passamos a usar "evolução", diminuem as resistências.   

 

Prepare-se para o novo

Aqui vou vestir o meu chapéu de coach e fazer duas perguntas: A sua forma de liderar e gerir pessoas é efetiva no ambiente digital? Você sente liberdade total de focar no seu propósito, seus planos e projetos ou se sente sobrecarregado? Se as suas respostas foram não, saiba que você não está só. Esta é a realidade da maioria das lideranças que funcionam por um modelo comando e controle, de uma escola mais tradicional de gestão. O papel de líder Lean, auxiliado pelo Lean Coach, é fazer uma jornada diferente dessa. Colabore, apoie, aprenda e ensine para ter times capazes de atuar de forma eficiente e descobrir suas próprias soluções.

Em vista de tudo o que foi dito, como provocação para a sua próxima segunda-feira, encerro este artigo deixando uma questão para reflexão: O que você, como líder, pode melhorar ainda mais em termos de liderança, em termos de coaching, para que as suas pessoas possam se sentir mais acolhidas, com espaço maior para o autoconhecimento e desenvolvimento e mais preparadas para inovar?

Quando descobrir a resposta, terá dado um enorme passo para que seu Lean Coach encontre solo fértil para impulsionar a mudança cultural e a transformação digital de sua empresa com velocidade.