Este site usa cookies para oferecer uma melhor experiência de navegação. Ao continuar e navegar pelo site, você aceita o uso de cookies.

Para informações completas, consulte nossa Política de Privacidade.

Mais customização: Criando novas experiências com o Lean Digital

Por: Bruno Guicardi

Criando novas experiências com o Lean Digital
Posted on Sep 19, 2017

As empresas que estão constantemente inovando parecem saber exatamente como permanecer relevantes. Mas como? Qual é o truque para entregar consistentemente tecnologia de ponta em um mercado global em mudanças rápidas?

Em minha visão, a chave é aplicar de forma inteligente os princípios e metodologia Lean ao digital.
 

 

Criando novas experiências aos consumidores usando Lean Digital

 

Coloque as necessidades de negócios dos consumidores antes da tecnologia
 

Então, você está se perguntando: Com o que o Lean se parece e como isso pode impactar na experiência do consumidor? Primeiro, pense sobre seus clientes e necessidades de negócio antes da tecnologia.

Um exemplo a partir da minha experiência é quando trabalhamos com a Motorola na plataforma Moto Maker, que proporciona aos clientes a flexibilidade para personalizar seus dispositivos móveis. Desde que o smartphones se tornaram uma extensão da expressão e estilo pessoal das pessoas, a Motorola queria se diferenciar, dando à elas um controle criativo maior sobre os seus dispositivos.

Se você está em uma empresa igualmente grande com complexos sistemas legados, um dia você pode se encontrar diante de uma oportunidade estratégica para inovar, mas deixou de saber por onde exatamente começar. Então, aqui estão algumas dicas baseadas em nossa experiência:

 

eBook Lean Way to Digital Success

     

Veja a floresta, não as árvores

Sempre que você enfrentar o aprimoramento de uma plataforma existente, evite focar estritamente nas soluções tecnológicas. Seja um agnóstico tecnológico. Pense sobre as necessidades e objetivos dos seus clientes e, então, sobre as mais flexíveis soluções que ajudarão você a chegar lá - mesmo que isso signifique abandonar os sistemas legados. Você conhece a expressão “Quem olha uma árvore não vê floresta”? Não seja essa pessoa. Ao invés disso, enquanto tenta aumentar o valor dos produtos para os seus clientes, deixe o design e a experiência do usuário conduzirem o seu processo.

Por exemplo, John S. Couch, vice-presidente de UX e design na Hulu, e David Kujda, vice-presidente global de design experience na HomeAway, fizeram parte de um painel que discutiu como construir uma cultura Design-Driven no SXSW 2017. Durante a sessão, Couch disse: “Ao lutar pela experiência que você acha que precisa ter em um ambiente tecnológico desordenado, às vezes a voz mais alta é a que ganha. Portanto, sempre incentivo meu time de design a defender o que eles acham que deve ser incluído no produto.”

Da mesma forma, Kujda explicou: “Nós devemos ser centrados em pessoas em nosso pensamento e ser, em primeiro lugar, solucionadores de problemas. Quando você considera o aprendizado acima da vitória, cultiva um ambiente propício para o fracasso e celebra o sucesso. Ser realmente centrado nos problemas é o caminho a seguir.”

Uma forma de aumentar o valor dos seus produtos é projetar experiências que as pessoas adoram e, então, organizar os seus processos para ajudá-lo a chegar lá. Isso significa olhar para o quadro geral e considerar soluções baseadas em código aberto quando apropriado. Por meio de uma abordagem organizada de testes e implementação, você pode realmente realizar muito em um tempo surpreendente curto.

No caso da Motorola, por exemplo, focamos na experiência do usuário como uma forma de aprimorar o valor para os clientes. Entre outras coisas, queríamos que a nova plataforma fosse como ter seu próprio consultor de compras on-line personalizado. Demos aos visitantes o acesso a um mecanismo de customização, que incluía a opção de selecionar, mudar e experimentar vários elementos técnicos e visuais dos seus futuros dispositivos.

O desafio com projetos como esse é permanecer focado em como entregar valor para o usuário final. Nós nunca teríamos sucesso se estivéssemos focados em soluções individuais em vez dos nossos objetivos.
 

 

Lutando a batalha do legado
 

Então, vamos dizer que você tenha identificado uma oportunidade estratégica e que está no estágio de planejamento. Mas, claro, existe aquele velho sistema antiquado que custou milhões de dólares e milhares de horas para implementar.
 

Não é necessário descartá-lo. Afinal, Legado e Lean Digital podem seguir de mãos dadas.

Para começar, pense sobre em seu fluxo de valor (seus processos para atender as expectativas dos seus clientes). Talvez você possa desenvolver uma plataforma mais robusta que funcione de forma mais eficiente como um software as a service (Saas) via APIs. Ele pode ser integrado com as suas plataformas existentes, se necessário, e dimensionadas para atender às necessidades dos seus principais parceiros. A melhor parte é que você está eliminando ineficiências no processo.

Além disso, para reduzir drasticamente os custos associados à migração de algumas de suas plataformas legadas, considere uma solução totalmente aberta e baseada em microserviços como uma alternativa. Em seguida, concentre-se em como completar essa nova implementação sem interromper o roteiro de negócios. Isso também permitirá que você tenha uma plataforma eficiente e flexível - que possa evoluir com as necessidades dos seus negócios e as expectativas dos seus clientes.

Por meio da abordagem Lean Digital, finalizamos a nova plataforma de e-commerce para a Motorola depois de 18 meses de desenvolvimento de projeto. No final, não apenas reformulamos a experiência do usuário e a camada de commerce, mas a transformação também reestruturou todo o processamento de pedidos em uma escala global.

 

Lean Digital exige prática

É importante ressaltar que a abordagem Lean Digital requer muitos testes e falhas. Já vimos casos em que as empresas não notam a importância de adotar o fracasso para informar o seu sucesso final. Então, esteja preparado para testar sua hipótese, avaliar a sua estratégia, descobrir o que está funcionando e então interagir a partir daí. Melhoria contínua é o nome do jogo.

E, ao adotar uma abordagem interativa e agnóstica de tecnologia, você evita distrações com todos os últimos sinos e assobios que podem impedir que você se concentre em entregar valor para seus clientes. Como Tom Peters, autor de In Search of Excellence disse uma vez: “Excelentes empresas não acreditam na excelência - apenas em melhoria e mudança contínuas.”

 

Publicado originalmente em Forbes: http://bit.ly/2xdDs56