Queremos entregar conteúdos cada vez mais relevantes para você e sua jornada. Para isso, precisamos que você aceite nossos cookies.

Se quiser saber mais, basta acessar nossa Política de Privacidade.

Seja protagonista para construir uma carreira de sucesso

Por: Time CI&T

Foto de uma mulher sorrindo e olhando para frente.
Posted on Jun 26, 2020

 

O que você vai ler aqui:

  • Por que protagonismo e poder de escolha fazem a diferença na sua carreira?

  • Autoconhecimento como ferramenta para o protagonismo

  • O papel das companhias no empoderamento das suas pessoas

 

Nesse momento de refletir sobre o chamado “novo normal”, é natural que a discussão sobre o futuro do trabalho se intensifique ainda mais. Nos últimos meses, a transformação digital nas companhias foi impulsionada pela inevitabilidade do isolamento social e o consequente aumento da necessidade de trabalho remoto. Esse cenário tem colocado em xeque rotinas laborais, desafiado a atuação das lideranças e promovido reflexões sobre o desenvolvimento de carreiras. Mas como ficam profissionais em meio a tantas mudanças e incertezas

 

Para tentar desenhar o seu horizonte profissional em tempos velozes como os estabelecidos pelo digital, o primeiro passo é entender que, cada vez mais, o “eu = indivíduo" não está dissociado do "eu = cargo". Afinal, o que acontece no trabalho impacta diretamente todos os aspectos da vida pessoal e o mesmo ocorre de forma inversa. Tudo que se aprende, até mesmo aquele hobby de fim de semana, influencia na construção da sua personalidade, logo, de sua carreira também. Sua jornada é composta por inúmeras práticas diárias pessoais e profissionais que, somadas, resultam em quem você é.

 

O segundo passo trata do poder do questionamento. A base da nossa educação básica é um modelo de ensino que aponta como melhor aluno que decora fórmulas e responde na hora certa. Contudo, vemos que, na era digital, mais do que ter respostas prontas, é preciso ter capacidade crítica para questionar o que é tido como verdade. A filosofia de gestão Lean - que fundamenta nossa companhia - nos ensina que nada é intocável. A melhoria contínua passa por buscar os porquês, por fazer as perguntas certas. 

 

Aqui, entendemos a importância do protagonismo e o papel do poder de escolha na carreira. O “eu” passivo, apegado a um modelo pré-definido de ascensão profissional, que executa atividades determinadas da forma tida como certa até então e recebe feedbacks negativos na defensiva, sem ouvir de verdade e sem buscar participar ativamente, não tem espaço na dinâmica atual de trabalho. Os problemas e as questões a melhorar sempre vão existir quando a ideia é evoluir. A pergunta é: como você lida com isso?

 

Ser protagonista é justamente assumir a responsabilidade por nossas escolhas diante das oportunidades e adversidades. É encarar cada problema como ouro, cada feedback - seja positivo ou negativo - como um presente e ver que mesmo situações difíceis podem ser um estímulo para crescer como pessoa e como profissional. Afinal, temos capacidade de escolha sobre a resposta que vamos  apresentar a cada desafio.

 

Nesse novo cenário, a gestão da carreira passa a ser individual. Assim, além de se preparar profissionalmente, é preciso desenvolver uma mentalidade de aprendizagem contínua, ter inquietudes, ter perfil questionador, buscar o autoconhecimento e procurar seus propósitos. Por outro lado, o papel da empresa é apoiar cada pessoa nessas reflexões, dar mais autonomia, manter um diálogo transparente e deixar para trás a cultura paternalista de gestão de pessoas.

 

O futuro do que fazemos 

De acordo uma projeção apresentada pelo Fórum Econômico Mundial, 65% das crianças que atualmente cursam o primeiro ano do Ensino Fundamental vão trabalhar em atividades completamente novas, que ainda não existem. Mas as rápidas mudanças já são sentidas por quem está no mercado atual: 35% das habilidades consideradas importantes na atual força de trabalho se transformarão em cinco anos. No entanto, como costumamos frisar, quanto mais tecnológico o mundo se tornar, mais o fator humano importará

 

Apesar de todos esses movimentos estarem claros, muitos e muitas profissionais ainda têm a visão míope de que quanto mais fizerem algo da mesma maneira, mais especialistas se tornarão. A repetição, de fato, leva à perfeição. Mas, em um mundo em movimento, é preciso ter atenção às novas possibilidades, às novas necessidades e às novas técnicas que surgem a todo o momento. Do que adianta, por exemplo, ser um fabricante perfeito de CDs quando o mercado todo está consumindo streaming de música? É preciso evoluir, acompanhando o entorno.

 

Se observarmos, a maior parte das pessoas e das empresas se define - ainda hoje - com base no que produz, no que faz. Essa atitude dá margem para que tanto profissionais, quanto companhias se tornem obsoletos. Por isso, não se apaixone pelo que você faz, mas pelo benefício gerado com seu trabalho, pelo valor que você entrega. Desapegue-se do especialista e reforce o aprendiz. 

 

Os horizontes de crescimento

Para realmente se tornar protagonista de sua carreira, o processo de empoderamento deve iniciar pelo autoconhecimento. Nos exercícios de conexão consigo mesmo, identifique quais são seus valores, forças, propósito e aspirações. 

 

Verifique de que forma esses ideais convergem com o que vem desempenhando no seu trabalho, na companhia na qual atua. E responda: está feliz por integrar essa empresa? Consegue imaginar sua evolução nessa organização? De que forma isso se relaciona com o seu propósito de vida? Essas são algumas das reflexões propostas por Taliza Weiss, nossa People Development Strategist.

 

“Incentivamos que o 'eu' tenha bem claro qual é o seu propósito. Por que eu acordo todo dia para trabalhar? Qual é o tipo de legado eu quero deixar? No seu último ano, quais foram os momentos que importaram de fato, tanto negativos quanto positivos? Isto é importante para as lideranças identificarem o que toca e o que engaja os colaboradores. Mas também para o 'eu' identificar seus valores e propósitos.”

Taliza Weiss

 

Depois, é preciso buscar aperfeiçoamento para além das fronteiras da sua função. Ao realizar sempre as mesmas tarefas e conviver com as mesmas pessoas, frequentando os mesmos lugares, possivelmente, você chegará sempre às mesmas soluções. Por isso, estimulamos que cada pessoa busque novos conhecimentos, tenha curiosidade por novos mundos e assuntos. 

 

Isso acontece, naturalmente, com empresas que abraçam a diversidade. Fomentar ambientes diversos, com pessoas e realidades diferentes, é fundamental para produzir soluções singulares e explorar novas possibilidades. Este é um ponto que merece destaque. Pois, especialmente hoje, com a necessidade do trabalho remoto, o contato humano tem ficado em segundo plano. Cabe às lideranças promover encontros de trocas e bate-papos virtuais para que a diversidade de ideias circule. 

 

E, neste momento, também cabe a cada pessoa reforçar o seu protagonismo, tendo mais proatividade na busca pela evolução pessoal. É preciso acionar as lideranças e colegas, buscar feedbacks com mais frequência. Encontrar campo seguro para falar sobre suas dúvidas e inquietações neste novo ambiente e estar disponível para ajudar quem precisar. Fazer de colegas e líderes aliados é um excelente meio para alcançar os aprendizados que se façam necessários.

 

O papel das empresas no empoderamento

Muitas empresas ainda se apoiam em uma hierarquia que determina que a direção, a alta liderança estabeleça objetivos, delegue funções, e profissionais das demais camadas as executem. De fato, a maioria das organizações obtiveram sucesso com essas estruturas durante anos. Contudo, isso já não é mais suficiente. 

 

Para causar impacto, é preciso ter um propósito e desapegar desses modelos ultrapassados de gestão. E propósito não deve estar ligado a prestígio, reputação ou lucratividade, mas sim a construir e compartilhar valor. Uma organização com propósito mobiliza e engaja as pessoas

 

E este é um ponto fundamental, apesar de intangível: o propósito é um grande instrumento motivador, especialmente para jovens talentos. Estamos diante de uma geração que procura uma empresa que ajude a fazer diferença no mundo, não apenas receber o salário no fim do mês. 

 

Há que se ter em mente que não se constrói uma empresa, forma-se uma equipe, e essa equipe edifica a empresa. Com esse pensamento como norteador, o recado para empresas e líderes é: atraia e estimule profissionais que cultivam os mesmos ideais da sua companhia. Proporcione ambientes colaborativos e estimulantes, que fomentem trocas, respeito, autonomia e liberdade. Assim, você terá uma companhia inteligente, capaz de gerar negócios de grandes resultados e causar impactos positivos na vida de seus clientes.