Valor Econômico destaca hackathon da Dasa com a CI&T

by: CI&T Team

Foto CI&T é destaque no Valor Econômico
Posted on Aug 28, 2017

Matéria “Maratonas tecnológicas atraem talentos” destaca a hackathon da DASA, desenvolvida em conjunto com a CI&T.

O Valor Econômico abordou como os ‘hackathons' vêm sendo adotados por empresas de diversos setores como estratégia de recursos humanos. Entre o principal exemplo citado, está o hackathon da Dasa, a maior empresa de medicina diagnóstica da América Latina, desenvolvido em conjunto com a CI&T.

 

O que é hackathon?



Usualmente promovidas por empresas de tecnologia, organizações sem fins lucrativos ou grupos de profissionais da área, essas ‘maratonas’ têm como meta reunir um grupo profissionais de programação para trabalhar em equipe e alcançar um objetivo em comum - desenvolver aplicativos, sistemas ou achar uma solução tecnológica para um problema. A ferramenta é uma entre diversas estratégias de recrutamento intensamente focadas na prática, adotadas não só para encontrar profissionais disputados no mercado, mas para encurtar o processo seletivo.

 

Transformação digital e recrutamento na Dasa

Para a Dasa, que está passando por uma transformação digital, é também uma forma de se posicionar como potencial empregador para profissionais de TI. "O primeiro ponto é comunicar para essa turma que a Dasa está fazendo tecnologia de ponta", diz Ricardo Orlando, Chief Information Officer (CIO) da Dasa.

Para adentrar o mundo da tecnologia e chegar até os profissionais da área, a Dasa se uniu à CI&T como grande parceira no setor. Aqui na CI&T, as 'hackathons' próprias são adotadas como forma de recrutamento desde 2013. "É um instrumento de contratação e de engajamento fantástico para a comunidade técnica, que também mostra um pouco da cultura e dos valores da empresa", diz Marília Honório, gerente global de engajamento e contratações.

Com mais de 2.500 funcionários, práticas similares às 'hackathons’ são adotadas em nossos processos seletivos. Em todos os cargos, do nível inicial ao executivo, a empresa não promove etapas tradicionais como a entrevista de emprego. "Nosso mantra é tirar o blá-blá-blá e mostrar a experiência de um dia de trabalho", diz Marília.

Além de testar as habilidades do profissional, a ideia é apresentá-lo para o ambiente de trabalho e a equipe. "Quando a decisão de emprego é mútua, aumenta a probabilidade de dar certo", diz.

 

Leia a matéria na íntegra (exclusiva para assinantes) aqui.